Blog

romeufelipe

Embaixadores: como são escolhidos os cabeleireiros que representam as marcas

há 1 anoNenhum comentário

Com certeza você, cabeleireiro, tem uma marca que é a queridinha da sua bancada e que é uma das primeiras a serem citadas quando sua cliente pede alguma sugestão. Você, cliente, sem dúvida alguma já teve indicação de um bom cosmético feita pelo seu cabeleireiro acompanhada de boas explicações do porquê ele ser tão bom. Essa é uma das muitas funções que os embaixadores das marcas têm quando são escolhidos para difundir o conceito da empresa para o seu público. Mas como eles são escolhidos? O que fazem além de serem garotos ou garotas-propaganda? O HairAdvisor entrevistou os dois lados – a marca e o cabeleireiro embaixador – para você entender como tal relação funciona.

Tudo começou…

A grande maioria dos cabeleireiros escolhidos para representarem marcas que são referência no mercado trazem na bagagem uma trajetória de relacionamento com a empresa, como explica Adelaide Paiva, gerente de comunicação da Wella Professionals. “Os cabeleireiros já constroem um relacionamento conosco através de educação, seja participando dos grupos especiais que nós temos, seja dando treinamentos em nosso estúdio. Hoje, nós recomendamos que o caminho seja esse, o da formação”, explica e sugere.

Adelaide Paiva, gerente de comunicação da Wella
Adelaide Paiva, gerente de comunicação da Wella

 

Quem são os escolhidos?

Você deve estar se perguntando quais são os critérios que as empresas levam em consideração na hora de selecionar um embaixador. A primeira dica é que tais pontos vão além de um bom corte ou uma cor perfeita no cabelo da cliente. “A marca seleciona embaixadores que se preocupem também em proporcionar uma experiência única no salão de beleza, começando com uma boa consultoria de beleza”, aponta Adelaide. Isso é importante para proporcionar uma experiência excepcional com os produtos da marca e transformar essa satisfação em comentários positivos e, consequentemente, em novos clientes.

Além disso, a referência o cabeleireiro no mercado também vale pontos. “Para nós, nada melhor do que ter profissionais reconhecidos e que usam e indicam Wella, pois os cabeleireiros são o nosso núcleo. Um bom profissional influencia diretamente suas clientes e também outros profissionais que se espelham nele”, reflete a gerente de comunicação da marca.

 

Vida de embaixador

A história do cabeleireiro com a marca que escolhe o profissional para representá-la no mercado começa muito antes de o convite ser feito. “Sempre fui apaixonada pela Keune, muito antes de receber o convite. Já conhecia e trabalhava com os produtos da marca e ter me tornado embaixadora foi muito tranquilo porque sempre tive essa confiança na hora de trabalhar com os cosméticos”, conta a embaixadora Marília Tambasco, cabeleireira do salão Marcos Proença, em São Paulo.

 

Marília Tambasco, hairstylist Marcos Proença
Marília Tambasco, embaixadora Keune

 

Mais do que divulgar a empresa, Marília explica que a missão do cabeleireiro vai muito além: enquanto a marca atua no desenvolvimento técnico, os embaixadores são os responsáveis pela parte prática antes de o lançamento chegar ao mercado. “Participamos de todos os passos de elaboração e conhecemos os produtos em primeira mão antes de todo mundo. Tudo o que observamos e sugerimos mudar é bem aceito pela marca para alcançar o máximo de satisfação de outros profissionais”, explica Marília.

A cabeleireira e embaixadora de L’Oréal Professionnel, Jô Nascimento, de Limeira (SP) diz que a credibilidade e o reconhecimento são outros pontos. “A exposição acaba sendo a maior recompensa. Por outro lado, temos a responsabilidade de conhecer a filosofia e os produtos a fundo, sermos de verdade profundos conhecedores da marca.”

 

Jô Nascimento, colorista e proprietária no Espaço Jõ Nascimetno
Jô Nascimento, embaixadora L’Oréal

 

O que muda?

Como foi explicado, a expertise sobre a marca que o cabeleireiro carrega consigo é muito importante na hora da escolha de um embaixador. “Eu já tinha um conhecimento bastante amplo sobre cabelo. Depois de ter me tornado embaixadora da Keune, isso tomou outra proporção. Para mim, agregou muito ao que já sabia, agora sinto que sei ainda mais”, conta Marília.

Além disso, Jô Nascimento afirma que passou a participar de todas as etapas de criação, desenvolvimento e lançamento dos produtos de L’Oréal Professionnel. “O embaixador tem acesso a muito aprendizado durante a carreira com a marca. Conhecer os produtos antes do mercado traz para o salão muitas vantagens.”

Para manter profissionais conceituados na equipe de embaixadores, tanto L’Oréal Professionnel quanto Wella Professionals remuneram seus cabeleireiros representantes. “Recebemos cachê quando fazemos workshops ou shows”, afirma Jô.

Para concluir, toda essa experiência como embaixador de uma marca também agrega valor ao preço final do serviço prestado no salão. “Além de eu atuar em um salão já conceituado, ter me tornado embaixadora Keune impulsionou muito mais o meu trabalho. Falo com muito mais propriedade sobre os produtos que uso e as clientes levam, de fato, o resultado que prometi a elas para casa”, conclui Marília.